Clínica Elkis Intervenção - Radiologia intervencionista
É possível que os sintomas do mioma não se apresentam nenhum tipo de dor ou desconforto, mas fique atenta

CBR

SoBRICE

CIRSE

SIDI
Clínica de Radiologia Intervencionista Henrique ElkisMédico Especialista Dr. Henrique Elkis
Dr. Henrique Elkis . CRM: 97865 . Médico Radiologista Intervencionista e Cirurgião Endovascular
Tweetar
Enquete Elkis

Você já conhecia os benefícios da embolização de mioma?

Sim
Não
Gostaria de entender melhor

Como funciona?

A Radiologia Intervencionista ou Cirurgia Minimamente Invasiva atua em todas as áreas e órgãos do corpo humano.

Para isso os Radiologistas Intervencionistas fazem uso de um acesso percutâneo, ou seja, a punção de uma veia ou uma artéria, normalmente da virilha ou do braço, com anestesia local.
Os procedimentos
são realizados com
alta tecnologia.

Sintomas do Mioma Uterino

50% das mulheres em idade reprodutiva têm mioma uterino. Destas, metade não apresenta nenhum sinal ou sintoma de mioma.

O Dr. Henrique Elkis explica que 50% das mulheres em idade reprodutiva têm o mioma ou mioma uterino. Destas, metade não apresenta nenhum sinal ou sintomas específicos da doença. Assim, na maioria das vezes o mioma é descoberto em exames de rotina, como uma casualidade. E algumas vezes, o mioma é diagnosticado devido ao aumento do tamanho do abdômen, que pode levar a mulher a pensar que apenas engordou um pouco ou até que está grávida.

Quais os sintomas  do mioma?
Alguns miomas são assintomáticos. Quando os sintomas de mioma aparecem, os mais importantes são:

Alteração menstrual: há o aumento dos dias de menstruação, da quantidade de sangramento e da intensidade das cólicas menstruais. A cada menstruação, o fluxo é maior e há o aumento no número de absorventes utilizados.

Anemia: é ocasionada por sangramentos fora do período menstrual, às vezes com coágulos.

Aumento do volume do abdômen: é provocado pelo crescimento do mioma e, por essa razão, é mal interpretado como ganho progressivo de peso.

Compressão sobre a bexiga: leva à redução da capacidade de armazenar urina, levando a paciente a urinar com maior frequência.

Compressão sobre o intestino: leva à constipação intestinal (prisão de ventre), já que o útero pode comprimir o reto, dificultando a passagem das fezes.

Dor: surge à medida que o útero cresce e começa a comprimir estruturas e órgãos próximos, como na pelve, na região lombar, flanco e pernas. Além de incômodo durante a relação sexual.

Infertilidade: numa proporção muito pequena o mioma pode causar infertidade. Acomete com mais frequência pacientes com miomas uterinos, já que esse tumor pode levar a alterações (deformidades) do órgão que dificultam a implantação do óvulo. Porém, isso não ocorre em todas as pacientes.

Aborto: é causado por miomas grandes, múltiplos e que causam deformidade da cavidade uterina. Aumenta-se o risco de complicações na gestação, como o aborto, principalmente quando a placenta encontra-se implantada sob um mioma.

sintomas de mioma

Sintomas de mioma

Ao indício de qualquer um desses sintomas procure ajuda médica para orientações e o diagnóstico correto.

O diagnóstico do mioma pode ser feito pelo histórico da paciente e pelo exame físico realizado pelo ginecologista.

O diagnóstico poderá ser confirmado com exames de imagem, como a Ressonância magnética e o Ultrassom.









Por que o mioma surge?
A genética (histórico de casos de mioma na mãe e irmãs) e a disfunção hormonal (crescimento do estrógeno, produzido no ovário da mulher em idade reprodutiva) estão entre as principais causas do aparecimento do mioma.

É possível prevenir o mioma?
Não existe uma fórmula de prevenção contra o mioma. Segundo Dr. Henrique Elkis, é importante manter o seu peso de forma saudável com exercícios físicos, pois a gordura libera mais estrogênio no corpo o que facilita o surgimento do mioma. Também evite fumar e beba com moderação. E por último, mas não menos importante, a orientação é consultar seu ginecologista regularmente, já que nas consultas de rotina, muitos casos de mioma podem ser diagnosticados.

Preciso de orientação médica para tratar o mioma?
É imprescindível procurar orientação médica para o tratamento e em qualquer desconfiança relacionado aos sintomas do mioma. Para o tratamento, seu médico poderá sugerir o acompanhamento clínico, pois geralmente o mioma não apresenta nenhum desconforto à mulher, sugerindo a espera da menopausa, quando o mioma tende a desaparecer naturalmente. Já em alguns casos, o mioma pode causar muitas dores e sangramentos preocupantes e o médico poderá prescrever um medicamento que bloqueia a produção do estrogênio ocasionando a diminuição do mioma, mas não propicia a cura, uma vez que o mioma volta a crescer assim que se interrompe o tratamento medicamentoso. Como o tumor diminui de tamanho nessa situação, é propostas a cirurgia de mioma.

Como é possível reduzir os sintomas do mioma?
O tratamento inicial do mioma é geralmente feito com medicamento, tentando reduzir os sangramentos e diminuir o tamanho do mioma. Entre as opções estão os medicamentos análogos do GnRH, que induzem a uma temporária menopausa, inibindo a produção de estrogênios pelos ovários, os anticoncepcionais orais e o DIU com liberação de progesterona.

Mas é importante ressaltar que a cirurgia de mioma torna-se uma opção quando os sintomas não respondem ao tratamento com medicamentos, há intenção de engravidar e o mioma pode atrapalhar a gestação ou se há dúvida se o tumor é realmente mioma ou alguma lesão maligna.

Os sintomas do mioma podem ser confundidos com outro problema?
Sim. O mioma pode ser confundido com tumores ovarianos, massas intestinais e gravidez. Por essa razão, é importante que o seu médico solicite um exame mais detalhado, como a ultrassonografia - que irá mostrar a presença do mioma e a sua localização; e a histeroscopia, que permite a visualização da cavidade uterina através de uma sonda inserida no útero, contendo uma espécie de câmera.

Quais os tratamentos mais indicados?
Tudo dependerá do tamanho e localização do mioma. Se o mioma não provocar nenhum tipo de sintoma ou desconforto não necessitará de tratamento. Se o quadro pedir algum tratamento, este pode requerer remédios e, em alguns casos – quando provocar dores, hemorragias ou dificuldades reprodutivas – o tratamento cirúrgico. Nos últimos anos, foi criado um novo tratamento, que tem como objetivo bloquear o fluxo sanguíneo das pequenas artérias que levam o sangue que "alimenta" o mioma – isto leva a uma parada da hemorragia ginecológica e também a uma redução no tamanho do mioma.

Este tratamento é conhecido por embolização. 

Essa técnica é realizada sob anestesia local através da punção de uma artéria da virilha e, com cateteres muito finos, "entope-se" as artérias que irrigam o mioma com pequenas esferas. Após dois ou três ciclos menstruais, a paciente passa a menstruar normalmente.

O período de internação é de 24 horas, não há cortes ou cicatrizes, e a paciente pode voltar rapidamente às suas atividades. Além disso, a função uterina é mantida e a gravidez pós-embolização é hoje uma rotina.


Caso tenha dúvidas sobre os sintomas de mioma, tratamento de embolização ou seus procedimentos envie um e-mail para Clínica Elkis Intervenção. Lembrando que este contato não substitui uma consulta e avaliação do Médico Especialista em mioma.

Fontes Bibliográficas


Se você ainda está com dúvidas envie um e-mail para o Dr. Elkis.

Escreva aqui a sua dúvida

Nome*

Por favor me chame de...

Email *

Telefone Fixo *

Celular

Motivo do seu contato
Aneurisma
Câncer
Hipertensão Arterial
Infertilidade Masculina
Mioma Uterino
Quimioembolização Hepática
Varizes das Pernas
Outros
 
CopyRight © 2013 . DR. HENRIQUE ELKIS - Clínica de Radiologista Intervencionista . Cirurgia Endovascular - Todos os direitos reservados. | www.HenriqueElkis.com.br | BRASIL      Convert mkt
LiveZilla Live Help